Foi necessário diminuir a violência em Bloodborne

Apesar da necessidade de diminuir a violência, o título não será mimado, segundo Miyazaki ele só não possui violência desnecessária e gratuita.

Por Adriano Ribeiro em 18 de março de 2015

bloodborne

Em entrevista a Kotaku, Hidetaka Miyazaki, o diretor por trás de Bloodborne, diz que foi necessário diminuir o nível de violência, pois segundo ele o título chegou ao ponto de ser assustador nesse sentido.

Havia muitas coisas que tivemos que baixar e o tom da violência foi uma delas“, comenta Miyazaki. “Bloodborne transporta-nos para um mundo de pesadelos e essa sensação de terror tem que ser representada, por isso há sempre coisas que quando as crias pela primeira vez são vistas de outra perspectiva. Onde é que tu define os limites do que podes e o que não pode mostrar?“, questionou.

Foi algo que tive de trabalhar muito durante o desenvolvimento. Quis ir dar um passo para uma experiência mais sinistra e um enquadramento mais horrível do que o mostrado na série Souls, mas há que ter cuidado até onde chegas, e isso foi algo em que a Sony nos ajudou muito“, reconheceu. “Conversamos muito sobre entre ultrapassar os limites do que é correto e do que é de muito mau gosto.

No entanto isto não significa que Bloodborne vá ser jogo mimosinho, muito pelo contrário. “Quando as criaturas são atacadas e o sangue está espalhado por todo o lado, isso foi ajustado de uma forma mais artística do que de uma forma mais violenta ou terrorífica; isso é simbólico. Está representado da mesma forma que seria mostrado numa pintura, e não de uma forma fotorealista,” acrescentou ele. “Isso mantém o sentido do terror sem chegar a ser gratuito.

Via: Eurogamer.pt

Comentários