Sega Saturn – Como um erro no marketing marcou o fim do console

Marcando o fim da Sega como empresa first-party, a decisão de marketing com o Sega Saturn foi um dos maiores erros cometidos na indústria dos games.

Por Adriano Ribeiro em 20 de maio de 2015

Sega-Saturn-Console

Como bem lembrado pelo The Guardian, semana passada marcou 20 anos desde o dia em que a SEGA fez uma das piores decisões para o futuro da companhia. Era o dia da conferência da SEGA na E3 de 1995. Para ser mais preciso, dia 13 de maio. A SEGA, por pressão externa do PlayStation, fez uma decisão que marcaria o futuro colapso da empresa na produção de consoles, a chegada antecipada do Sega Saturn no mercado dos EUA.

Conhecido por ter sido uma das maiores mentes por trás da estratégia da SEGA para conquistar a fatia de mercado da Nintendo com o Mega Drive, o CEO da empresa naquele momento era Tom Kalinske, o mesmo cara que viria a anunciar uma das piores decisões da SEGA na indústria. Kalinske estava em situação difícil e sensível que poderia diminuir o sucesso do PlayStation sobre o Sega Saturn, e talvez até o futuro da indústria.

Ambas empresas, Sony e SEGA, já haviam lançados seus consoles no Japão no final de 1994. Agora que a Sony já havia confirmado presença também no mercado americano com seu primeiro console, o PlayStation One, o console que viria a ser o primeiro passo para a construção de uma nova indústria, começa a assombrar a casa do Sonic. Kalinske estava literalmente em um beco sem saída.

O Sega Saturn vendeu 500.000 unidades em seu primeiro mês e estava com vendas superiores ao do PlayStation no Japão, porém as vendas do console da Sony estava a se aproximar. Promessas foram feitas pela SEGA na arquitetura de seu novo console e uma série de add-ons procuravam trazer um hardware poderoso. Do outro lado, temos a Sony que em sua própria jogada de marketing apresentou a famosa apresentação do dinossauro em 3D e carregava consigo um slogan que dizia: PlayStation é o futuro.

psx-console

O ápice do confronto entre o principal concorrente do Sega Saturn foi no palco da E3. A SEGA apostando em um marketing mais ágil, anunciou durante sua conferência que o Sega Saturn já estava disponível no varejo pelo preço de $399. Porém um detalhe que vale ser lembrado é que a companhia havia dito anteriormente que o console só estaria disponível em setembro de 1995 nos EUA. Naquele momento tudo estava seguindo conforme o novo planejamento, porém minutos depois quando a Sony subiu ao palco, foi anunciado que o PlayStation custaria $299. Isso era $100 mais barato que o do seu concorrente.

O Sega Saturn simplesmente não estava pronto pra o público; se tinha apenas um punhado de consoles disponíveis. Seu preço estava acima do principal concorrente e seu lançamento foi marcado por pequena quantidade de títulos.

Por este ano marcar 20 anos desde a grande decisão da SEGA a respeito de lançar o console 5 meses antes da data prevista. O Sega Nerds fez uma pequena entrevista com Kalinske a respeito do ocorrido com o lançamento da Sega Saturn, onde após questionar se seus sentimentos alteraram com o passar do tempo, o ex-CEO afirma que não, e diz que se caso eles estivessem esperados por um lançamento em setembro ou no final do ano, poderiam ter sido mais bem sucedidos.

Não, meus sentimentos são os mesmos, se tivéssemos esperados até que tivéssemos mais jogos e melhores, o lançamento com todos os varejistas, em vez de com alguns, com o marketing poderíamos chegar a cada jogador, nós teríamos sido muito mais bem sucedidos, mesmo se isso significasse esperar para o final de outubro ou novembro para seu lançamento“, diz Kalinske.

Além da decisão antecipada de seu lançamento, o Sega Saturn trazia consigo raízes ainda da geração 2D em sprites, diferentes do PlayStation que tinha seu foco principal em jogos 3D. Infelizmente por perder a fatia de mercado antes conquistada na disputa com a Nintendo, a SEGA foi aos poucos sendo ultrapassada pela Sony, o que viria a ser, na virada do novo milênio, um fator que marcaria o fim do Dreamcast e da SEGA como empresa first-party, perdendo na disputa contra o PlayStation 2 em 2001.

Talvez essa decisão também pudesse mudar o futuro da indústria, pois caso a SEGA ainda tivesse tido grande participação na indústria não deixando a Sony conquistar grande fatia do mercado, a Nintendo e a Microsoft poderiam ser mais fracas atualmente. Visto que o Game Cube não teve números altos de vendas e o Xbox ainda era uma marca recente na indústria em 2001.

Comentários