Impressões – Final Fantasy XV responde grandeza da série em obra de uma década

O RPG da Square Enix surpreende pela jogabilidade e promete agradar não apenas os fãs da série

Por Anderson Araújo em 18 de setembro de 2016

final-fantasy-xv-30155518844773

Final Fantasy XV é sem dúvida um dos maiores lançamentos da Square Enix em anos. Poucos são os jogos que contaram com um investimento massivo em marketing e anos de desenvolvimento, com direito a animação, filme, dublagem por atores consagrados e música tema na voz de Florence. Um grande hype foi formado em torno do título, onde a empresa traz para os fãs da série uma jogabilidade inovadora e mais uma vez, personagens bastante carismáticos.

Como amante do gênero RPG e da série Final Fantasy, não podia deixar de conferir a demonstração disponível na Brasil Game Show 2016, o maior evento de games da América Latina. Confirmando que, certamente, o maior diferencial do jogo encontra-se em sua jogabilidade.

Começamos no controle de Noctis, o príncipe herdeiro do reino de Lucis e protagonista da trama. A demonstração segue ao lado de um dos seus amigos de jornada, onde ao chegar em meio as montanhas encontramos um exército de inimigos, que nos permite já aproveitar um pouco mais do sistema de combate. A batalha flui naturalmente, com possibilidade de travar a câmera nos inimigos (opcional), trocar rapidamente de armas em meio ao combate e utilizar feitiços.

O dinamismo dos confrontos se constroem na possibilidade de Noctis se teleportar em encontro a um inimigo já executando algum golpe, ocasionando maior dano quando pego de surpresa, mas consumindo bastante da barra de Stamina – sim, desta vez temos uma barra de Stamina que se consome rapidamente durante as batalhas. Os diversos tipos de ataque balanceiam a quantidade de Stamina consumida. Se você optar por batalhar baseado em teleportes, por exemplo, poderá ficar em sérios apuros, devendo fugir ocasionalmente, o que nos leva buscar estratégia durante a batalha.

final-fantasy-xv-3015841231234773

Logo após o rápido confronto contra alguns inimigos, surge o colossal “Titan”, aqui respondemos as investidas através de QTE’s que funcionam para contra-atacar ou até mesmo causar algum dano. A batalha não se alimenta de jogos como Shadow of the Colossus, onde temos que escalar e causar dano em algum ponto específico do inimigo. Como Noctis pode teleportar, o combate se torna bem fluido, podendo efetuar ataques no torso e braços facilmente, sendo possível causar dano em qualquer local do Titan. Próximo ao fim, algumas orientações vão aparecer para o jogador realizar o golpe “final”, que pede a execução de uma série de comandos que você não faz ideia do que seja, sendo apenas utilizar uma das armas executando uma magia, pondo fim ao inimigo.

Durante a demonstração o visual apesar de impressionar ainda sentimos que poderia ser melhor. Uma quantidade considerável de “serrilhados” incomoda um pouco para um título tão grandioso, mas nada que tire o brilho e expectativa que o Final Fantasy XV está trazendo para uma série com quase 30 anos de existência.

Nos resta aguardar novembro para, de fato, explorarmos de maneira completa o que a Square Enix preparou para nós durante todos esses anos. Estou bastante curioso para ver a relação pai e filho, onde indica ser um dos pilares na história do jogo. Até breve.

Em desenvolvimento desde 2006, Final Fantasy XV será lançado em 29 de novembro para Xbox One e PlayStation 4.

Comentários